Prazeres Aniversário

Nesta edição nada mais prazeroso do que cumprimentar a todos da revista por este aniversário. Que delicia parabenizar por datas especiais e nada pode fazer deixar este prazer de lado.

Justificar a ausência de atitude por falta de tempo, correria do dia-a-dia ou rotina agitada não cola. Todos podemos fazer com que o nosso tempo cumpra as obrigações cotidianas. Pense na satisfação que lhe dá quando lhe cumprimentam pelo aniversário. Mesmo aqueles que não gostam de celebrar ou comemorar se sentem felizes com a lembrança.

Existem algumas regrinhas e dicas que só contribuem para este exercício delicioso de convivência.

O ideal é que o faça na data, mas se sabe que estará ausente antecipe seus votos sem problema. Ainda mais importante: nunca é tarde demais. A data passou e você não cumprimentou, nada de deixar para o próximo ano, tome uma atitude e se manifeste, mesmo que com dias de atraso. Pode ser por telefone, email ou pelo insubstituível escrito a mão. Abrir um envelope endereçado a você e se deparar com um simpático cartão, seja austero e tradicional ou brincalhão e divertido, é uma experiência única e sempre agradável. Mas insisto, se for preciso, sinais de fumaça ou pombo-correio também estão valendo.Não deixe de se fazer presente.

O ato de presentear costuma ser satisfação em via de duas mãos, para quem dá e quem recebe. Estar “meio-duro” não é desculpa, o que importa é o gesto não o valor do objeto. Pense no presenteado ao escolher o regalo. Comprar algo que não tem a ver com a pessoa, mesmo que precedido por muitos cifrões, não vale nada. Querer escapar através da máxima ” Você é muito difícil de dar presente, tem tudo” é papo furado.

Escolhido com carinho, um mimo pode valer uma fortuna para quem o recebe e se tornar uma verdadeira relíquia.

Repasses são perigosos. Receber algo que foi dado a outra pessoa é mortal. Um livro com marcador lá pela página cento e tanto é prova irrefutável do crime. Flores agradam a todas as idades e gêneros. Se vai levar em mãos para uma festa ou encontro não exagere no tamanho. Passa de gentileza a estorvo se for algo no gênero corbeille gigante.O que quiser presentear se tiver a oportunidade de mandar entregar antes da comemoração é um show de classe. Abrir presentes na frente de quem os deu, desde que isso não atrapalhe o ritmo da festa é regra para nossos padrões ocidentais. Japoneses jamais abrem perante os demais.Cada cultura respeitando seus costumes, mas não deixe de ser gentil. Caso abra depois não esqueça de agradecer. Foi gostoso ganhar, deixe quem deu saber disso.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desenvolvido por: